24 de ago de 2011

[SUGESTÃO] Sherlock


Não, este não é um post atrasado sobre o filme de Guy Ritchie com Robert Downey Jr. e Jude Law. Não, não. E sim, sobre a série inglesa da BBC que me arrebatou com apenas 3 episódios.

E sim, isto é o que eu chamo de uma série com potencial. A série é glamourosa, sexy, inteligente e viciante.

Foram apenas 3 episódios de 1 hora e meia cada. (3 filmes ingleses de altíssima qualidade, praticamente.) E com um gostinho de quero mais bem latente.  Não me importaria nenhum pouco de ter mais vinte capítulos toda semana.

Sherlock Holmes conta a historia do personagem homônimo dos livros de Sir Arthur Conan Doyle. Aquele mesmo do “elementar meu caro Watson”. O maníaco, depressivo, analítico, compulsivo, sarcástico, apaixonado, solitário Sherlock Holmes. Só que diferente dos livros e do filme de Guy Ritchie, os roteiristas Steven Moffat e Mark Gatiss – escritores da série Dr. Who - ambientaram a historia nos dias de hoje. Holmes usa celular (mensagens de texto para jornalistas durante entrevistas coletivas, infernizando o pobre Inspetor Lestrade), tem um site (A arte da dedução) e usa muita tecnologia.

Os elementos dos livros estão lá: Moriarty, Baker Street 221B e Inspetor Lestrade. Dr. Watson é um médico que voltou da guerra do Afeganistão. (A guerra é a mesma curiosamente, só mudou a época.) E tudo o que nós conhecemos de Holmes está lá: sua brilhante dedução, tirando informações das coisas mais ínfimas, que para um ser humano normal passaria despercebido.

Holmes é protagonizado pelo ator inglês – tinha que ser inglês, óbvio - Benedict Cumberbatch. Desconhecido para nós, ele é conhecido na sua terra por fazer homens estranhos e brilhantes muito bem, e seu Holmes é frio, amante da tecnologia e eu diria, um Aspergie. (Portador da Síndrome de Asperger. Também acho isso de Sheldon Cooper.)

Martin Freeman – o Bilbo Baggins de “O Hobbit” - faz Dr. James Watson, um sociopata em formação. Ele entra de cabeça nas loucuras de Holmes. E inicialmente nós imaginamos o porquê disso. Você pensaria: que idiota. Não mesmo. Como disse um sábio um dia: só um idiota ficaria rodeado por idiotas. Mas o que fazer quando um sociopata é companhia constante de outro sociopata?

Com média de 7,3 milhões de espectadores por episódio só na Inglaterra, a série foi renovada para uma segunda temporada. Infelizmente, outono de 2011.

Eu espero feliz da vida por ver essa dupla novamente.

Criado por Mark Gatiss e Steven Moffat,
baseado nos personagens de Sir Arthur Conan Doyle
Reino Unido/2010
Original da BBC

 ********
E só pra vocês me darem razão: http://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Asperger

2 comentários:

Lis disse...

Tô pra baixar essa série a um tempão hahahah #KILLME

24 de ago de 2011 21:05:00
Lucas M. C. disse...

Sherlock é realmente incrivel, Moffat é um roteirista com uma coerencia assombrosa se comparado com outros por aí, por que em Sherlock tudo o que acontece tem um porquê e é ótimo ver tudo se encaixando no fim.

No aguardo pela 2ª temporada :D

24 de ago de 2011 21:10:00