26 de ago de 2011

Assisti só de teimosia: The Nine Lives of Chloe King

Contém SPOILERS. Leia por sua conta e risco.


The Nine Lives of Chloe King Passa lá no ABC Familiy dos States, então automaticamente você conclui que este é um seriado teen, e que provavelmente passará (se já não passa) no Bloomerang (tv paga) e nas manhãs do SBT (se esse ainda é o horário que passa seriado light por lá).
Antes de falar do que se trata o seriado, dou meus motivos por baixá-lo e assisti-lo:

  • Achei os atores masculinhos um pitéu (a carne é fraca e, embora eu goste dos vampiros homens maduros, tem uns gurizinhos que dá vontade de adotar);
  • É baseado numa série literária de Celia Thomson. Obviamente do tipo teen-supernatural, e de vez em quando, pra desopilar o fígado de leitura mais séria (e melhor), a gente lê esses romancezinho meia boca só pra passar o tempo;
  • Tentei, pelo mesmos 2 motivos anteriores, assistir Teen Wolf, mas não consegui passar do 2º episódio, então decidi dar uma chance para a pequena Chloe;
  • Eu meio que curti a "capa" do seriado. Aquele olho de gato, os arranhões... hehe
Sinopse da gata Chloe King:
Chloe King está ansiosa para comemorar seu décimo sexto aniversário com seus amigos e sua mãe solteira, assim como todos os outros anos ... até que ela começa a desenvolver certas habilidades e que está sendo perseguida por uma figura misteriosa. Chloe logo descobre que ela é parte de uma antiga raça que tem sido perseguido por assassinos humanos há milênios e que sua única esperança de sobrevivência final.
O que a sinopse oficial não conta, e eu vos digo agora para poupa-los de assistir esta primeira temporada é que Chloe é uma gata. Sim, ela bonita, mas quando digo que ela é uma gata, estou falando sério. A guria solta as garras ao menor sinal de perigo, curte andar pelos telhados da cidade praticando um parkour bem bacana, tem visão noturna e dá saltos assustados espetaculares quando um cachorro late pra ela (risos).
Não, ela não foi parte de uma experiência quando criança. Ela não foi arranhada por um gato radioativo (risos again), nem tem um gene X no corpo. Bem, mais ou menos...

Ela é da raça Mai. Descendentes da deusa Egípcia Baset. Os Mai eram antigamente guardiões dos faraós egípcios e defensores da raça humana. O papel como protetores durou até o século 16 a.C, quando foram derrotados por Ramsés. A filha de Ramsés III se apaixonou por um Mai, mas o faraó proibiu seu casamento, assim eles fugiram. Quando os seres humanos e os Mai souberam da união, o garoto Mai foi raptado e morto pelos egípcios, provocando a divisão entre as duas raças. Quando o Terceiro Período Intermediário do Egito começou, os Mai foram rejeitados da sociedade e uma organização chamada The Order (A Ordem), um grupo de assassinos humanos, surgiu. Eles iniciaram a caça da raça semi-deus, até esta ser quase extinta.


O parágrafo anterior foi um oferecimento do site wilkipédia, beijos.

Ah amigos, mas ela não é qualquer Mai. Não mesmo. Nossa pequena Chloe tinha que ser especial. Ela é uma Mai que faz parte de uma profecia. Ela é o Unificador. Um guerreiro que pode parar a guerra entre Mai e seres humanos. E de brinde, ganhou NOVE vidas.

Já de cara, nos primeiros minutos do episódio piloto, assistimos Chloe ser perseguida por um misterioso moreno, alto e feio assassino. O 'prólogo' do episódio termina quando ele a empurra de uma altura sei-lá-de-quanto-só-sei-que-seria-impossível-qualquer-um-sobreviver. E em seguida voltamos 2 dias (se eu não me engano) da vida de Chloe até este momento.

Este post está ficando extenso, então vamos abreviar esta temporada em poucas palavras: a medida que Chloe vai descobrindo O QUÊ ela é e O QUÊ ela deve fazer, ela fica entre o afeto de dois garotos (clichê numero 1 check), descobre que como uma Mai, ela não pode se relacionar de jeito nenhum com humanos, pois um unico beijo poderia ser mortal, e com isso, qualquer futuro com o cara de quem ela é realmente apaixonada vai por água abaixo por ele ser humano (clichê numero 2 check). Para proteger sua mãe adotiva do perigo, ela mente/omite o que anda passando (clichê numero 3 check).

Sinceramente? Eu assisti esta série sem a menor expectativa. Inclusive a coitada nem teve chance no meu HD, pois eu deletava assim que assistia. Como eu comentei antes, os melhores atrativos para mim sobre essa série vem na forma de 2 pitéus lindos-que-dá-vontade-de-levar-pra-casa. E claro, os dois correm atrás da nossa protagonista sortuda. Brian (Grey Damon), o humano gente finíssima, fofo e apaixonado e Alek (Benjamin Stone), o Mai loiro que tem a missão de protegê-la e ensiná-la a usar seus poderes, além de ser um sedutor com sotaque britânico que eu levaria pra cama em dois segundos.

  

E aí? Team Brian ou Team Alek?

 

Bom, como eu comentei antes, eu não dava nada pelo seriado... ATÉ A SEASON FINALE.
Eu avisei que teria spoilers... Logo...

 

Não irei dar mais detalhes de como chegou até aí (gifs reveladoras essas, de qualquer forma), mas: o que você faz quando acha o amor da sua vida MORTO no chão? Ele tentou a temporada inteira engatar um romance com a guria, mas ela (por motivos óbvios) não pode dar nenhuma chance. Quando Chole é morta (de novo), e Brian descobre seu corpo segundos antes dela voltar a vida só resta a ele implorar para que ela não morra, e num ato desesperado... beijá-la.


PS: Ah! Já contei que a família de Brian FAZ PARTE DA ORDEM? Aqueles que caçam os Mai? Não? (clichê numero perdi-as-contas check!)

Edit: ABCFamily acaba de anunciar o cancelamento da série. Se vc assistiu e curtiu, ou leu este post e ficou interessado, só resta os livros. Boa sorte com isso :D

0 comentários: